Categorias Artigos
26/12/2019

10 Espécies nativas da Mata Atlântica que estão ameaçadas de extinção

Oito mil espécies nativas da Mata Atlântica estão sob proteção ambiental no Brasil. A floresta é a segunda maior do país e está presente em 17 estados.

Com 16 milhões de hectares no território nacional, a Mata Atlântica, que é a segunda maior do país, está presente em 3.429 municípios. Atualmente vivem nela 145 milhões de habitantes e 15 mil espécies de plantas. Oito mil delas são espécies nativas da Mata Atlântica que correm o risco de extinção.

Devido ao desmatamento, e a expansão agrícola e urbana, o bioma perdeu 90% de sua extensão original. O que torna a vegetação um raro tesouro nacional.

Com a temperatura média de 20°c e clima tropical quente e úmido, a vegetação é caracterizada pelo solo úmido, com a ausência de profundidade e oxigenação. Apesar da umidade e acidez do solo serem elevadas, as folhas que se decompõem ao cair das grandes árvores se transformam em nutrientes para as plantas e animais.

Assim, a vida na Mata Atlântica se destaca pela proximidade das copas das árvores altas que dosam a incidência de luz na vegetação da parte inferior. Abaixo veremos 10 plantas consideradas em perigo de extinção:

1 Araucária

Recorrente no Sul e Sudeste do Brasil, a espécie é da família Araucariaceae. Ela pode chegar a 50 m de altura. Sua copa lembra um candelabro. As folhas são verde-escuras com a ponta em forma de espinhos. A exploração colocou a espécie como ameaçada de extinção. Atualmente, o corte da araucária é proibido por lei.

2 Copaíba

Da família Fabaceae, nome original Copaifera trapezifolia, a Copaíba pode chegar a 15 m de altura. Com uma copa densa e globosa, seu nome é devido ao formato do folíolo que lembra um trapézio. Ela está em extinção pelo uso excessivo de sua madeira. Geralmente é encontrada em Florestas Ombrófilas Densas e em Florestas Ciliares.

3 Farinha-seca ou Pau-de-alho

É uma árvore que pode chegar a 23m e é caracterizada pelo caule com placas longitudinais e “cicatrizes”. Com o nome de Machaerium paraguariense, faz parte da família Fabaceae, é recorrente no Rio Grande do Sul e nas Florestas Semidecíduas do Nordeste. Devido ao uso da madeira na indústria civil e o desmatamento, a espécie é considerada rara.

4 Fruta-de-pedra

Da família da Humiriaceae, catalogada como Humiriastrum dentatum, a fruta-de-pedra é uma planta considerada medicinal. Tem folhas com bordas serreadas, o tronco é levemente rugoso e o fruto rígido. O estilo da vegetação é a restinga e pode ser encontrada no Sudeste do Brasil.

5 Guapeba

A Guapeba, da família Sapotaceae, é catalogada com o nome Chrysophyllum imperiale. Ela pode ser encontrada no Rio de Janeiro e Minas Gerais. Com folhas buladas, ela pode chegar a até 30m de altura. O tronco da espécie foi utilizado para a construção de embarcações para o imperador e, por ter sua imagem ligada a esse fato, quase foi extinta pelos republicanos.

6 Guatambu

Da família Apocynaceae, catalogada como Aspidosperma australe, ocorre desde o Sul da Bahia até o Rio Grande do Sul.  Sua altura pode chegar a 30m, com cascas ásperas no tronco, folhas em forma de lança e flores pequenas. A madeira é usada na fabricação de cabos em instrumentos de trabalho manual.

7 Ipê-roxo

Da família Bignoniaceae, catalogada como Handroanthus impetiginosus, o Ipê-roxo é encontrado principalmente na Floresta Estacional Semidecidual. A altura varia de 8 a 30m. Sua madeira é muito utilizada na indústria, além disso, acredita-se popularmente que o Ipê-roxo é medicinal.Jequitibá-vermelho

8 Pau-brasil

O Pau-brasil é da família Fabaceae e foi catalogada como Paubrasilia echinata. A árvore é encontrada do Sul da Bahia até o Rio de Janeiro. A leguminosa pode atingir até 12m e possui espinhos nos troncos e frutos. Suas flores são amarelas e florescem na primavera. Apesar de serem realizadas inúmeras tentativas de reflorestamento, a árvore ainda está em extinção.

9 Jequitibá-vermelho

Com nome de Cariniana estrellensis, da família Lecythidaceae, o Jequitibá-vermelho é um símbolo do Estado de São Paulo. A árvore pode chegar até a 45 m de altura e é encontrada em diferentes áreas da Mata Atlântica. Contém flores pequenas e frutos secos. Sua madeira era requisitada pela indústria madeireira e fábricas de cachimbo.

10 Peroba

Da família Apocynaceae e de nome Aspidosperma polyneuron, a Peroba pode chegar a 30m de altura. Sua madeira é de cor rosa e pode ser encontrada principalmente na Floresta Semidecídua na Mata Atlântica. É uma árvore de tronco ereto e casca grossa e acinzentada.  A exploração de madeira para a construção de embarcações marítimas a colocaram na posição de espécie rara.

26/12/2019